Notícias

Valor de demurrage em Paranaguá recuou 70% em 6 anos, diz estudo

Melhorias feitas nos últimos anos no porto de Paranaguá, segundo principal do país para exportação de commodities agrícolas e recebimento de insumos, resultaram em redução de mais de 70% na multa para os importadores de fertilizantes pela eventual sobre-estadia de navios, a chamada demurrage.

 

Segundo estudo do Sindicato da Indústria de Adubos e Corretivos Agrícolas no Estado do Paraná (Sindiadubos), de 2011 para cá, tanto o valor da multa quanto o tempo de sobre-estadia caíram cerca de 72,3% nos portos do Estado. O valor da demurrage por tonelada de fertilizante era de US$ 16,88 em 2011, passou para US$ 7,05 por tonelada em 2016 e, neste ano caiu para US$ 4,68 por tonelada.

 

A redução representa economia de aproximadamente US$ 75 milhões ao ano no custo operacional de importação de fertilizantes, segundo o estudo. O setor pagou em 2011 cerca de US$ 100,5 milhões em multas por sobre-estadia no porto de Paranaguá. Em 2016, foram gastos US$ 34,4 milhões com demurrage. De janeiro a setembro deste ano, as multas somaram US$ 19 milhões.

 

Afora a redução da demurrage, houve aumento de volume exportado de grãos por Paranaguá, de 30,6% entre 2011 e 2015, ano em que atingiu o pico de 18,05 milhões de toneladas. Em 2016, em virtude da quebra da safra 2015/16 de grãos no Brasil, o volume caiu para 15,06 milhões de toneladas. Mas, considerando apenas os dados de janeiro a setembro deste ano, os embarques já alcançaram 18,05 milhões de toneladas, segundo a Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa).

 

De acordo com a Appa, os investimentos públicos em estrutura portuária do Paraná, que possibilitaram a redução das multas e o avanço dos embarques, somaram R$ 630 milhões.

 

Segundo o diretor-presidente da Appa, Luiz Henrique Dividino, entre as melhorias feitas no porto, estão a reforma do cais comercial, o aumento no número de berços destinados à descarga de fertilizantes e a informatização do sistema para emissão de notas fiscais. "Saímos da época do carimbo e fomos para alta tecnologia", disse Dividino.

 

Para a modernização dos berços de atracação do navios em Paranaguá foram gastos R$ 93,2 milhões. "Aprofundamos os berços, o que permitiu que navios maiores e mais modernos fossem atracados nesse porto", afirmou o dirigente da Appa.

 

Fonte: INTL FCStone